quarta-feira, agosto 03, 2011

Vemos Jesus

David Wilkerson

Deus diz ter colocado todas as coisas criadas sob os pés do homem. Veja essa passagem de Hebreus:

"'Que é um simples ser humano, ó Deus, para que penses nele? Que é o ser mortal para que te preocupes com ele? Tu o colocaste por pouco tempo em posição inferior à dos anjos, tu lhe deste a glória e a honra de um rei e puseste todas as coisas debaixo do domínio dele'. Quando se diz que Deus pôs 'todas as coisas debaixo do domínio dele', isso quer dizer que nada ficou de fora. Porém não vemos o ser humano governando hoje todas as coisas" (Hebreus 2:6-8, NTLH).

Essa passagem se refere a tudo que tenha a ver com a vida mortal sobre essa terra. Em termos simples, tudo que tenha a ver com a vida diária - tal como a agricultura, o comércio, o governo, etc - foi colocado sob o comando da humanidade.

O salmista se refere a isso quando diz: "Deste-lhe o domínio sobre as obras da tua mão e sob seus pés tudo lhe puseste: ovelhas e bois, todos, e também os animais do campo; as aves do céu, e os peixes do mar, e tudo o que percorre as veredas dos mares" (Salmo 8:6-8). Alguns tradutores interpretam a passagem dessa maneira: "Tu o encarregaste de todas as coisas que criastes na terra".

Estudiosos dizem que este salmo antes de mais nada refere-se profeticamente a Cristo. Em verdade, Jesus foi tornado humano e sofreu na carne, apesar de ter sido coroado com glória e honra. E as escrituras efetivamente nos dizem que o Pai pôs todas as coisas sob os pés de Seu Filho. Mas o autor de Hebreus aqui se refere especificamente ao homem mortal como zelador. Então como estão as coisas atualmente sob a autoridade do homem?

Você estaria certo em observar: "Certamente não há autoridade sobre as coisas nesse momento"

O que vemos no mundo hoje? Como estão as coisas em nossa própria sociedade? Eis o que vemos: o governo falido. Escolas sem controle. Líderes confusos. Sistemas bancários em colapso. Desemprego generalizado. Programas sociais impossíveis de serem administrados. Falência total dos valores morais.

Isso tudo está acontecendo na nação mais desenvolvida e opulenta do mundo. Amado, há apenas uma conclusão a se tirar disso: o homem perdeu totalmente o controle.

Pense no seguinte. Nesse momento, a terra poderia estar à beira de uma catástrofe nuclear. O Irã desafia outras nações a fazê-lo parar de produzir bombas e mísseis nucleares; quer acabar com a existência de Israel. O governo do Irã acredita que deve criar o caos a fim de trazer o seu messias à terra.

Resumindo, as coisas parecem estar saindo de controle, sem nenhuma autoridade. É por isso que por todo lado vemos medo e confusão. Todos sabemos que o que estamos vendo é um dilúvio satânico vindo do inferno. É um dilúvio que leva os homens a entrarem em colapso e desmaiar por causa do medo - como Cristo previu.

Hebreus 2:8 certamente descreve os nossos dias, um período quando as coisas ficam totalmente descontroladas. Contudo, em meio a todo este caos, eis o que o autor enfatiza exatamente no versículo seguinte: "Vemos, todavia...Jesus" (Hebreus 2:9).

É incumbência de todo cristão em todas as provações, aflições e dificuldades ver Jesus em tudo

Como os crentes poderão ter a possibilidade de se manter firmes e imperturbáveis em tempos como os nossos? O autor de Hebreus nos responde: precisamos ver Jesus em tudo que está acontecendo em nossas vidas.

Alguns poderão perguntar: "Como o Senhor poderia estar presente nisso? Tantas coisas em minha vida estão saindo de controle e ficando caóticas". Vou lhe dar três exemplos das escrituras. Estou falando a respeito de homens cujos mundos viraram de cabeça para baixo pelo caos, abalando a intimidade de sua fé. Ainda assim em meio a tudo isso eles viram o Senhor.

Veja os apóstolos Estevão, João e Paulo em seus momentos de grande provação

Estevão foi um homem que se manteve inabalado quando uma multidão de pessoas em seu ódio por Cristo o cercou armados com pedras, prontos para matá-lo. Estevão sabia que tinha apenas minutos de vida - contudo estava pleno de paz e calma. Qual foi o segredo da resistência deste homem?

Naquele exato momento, Estevão testifica, "Eis que vejo os céus abertos e o Filho do homem (Jesus), em pé à destra de Deus" (Atos 7:56). Ele manteve os olhos fixados unicamente em Jesus. Ele pôde enfrentar uma morte cruel sabendo que Jesus estava com ele em meio a tudo aquilo.

Estou convencido de que há algo de grande importância nestes exemplos para todos que amam e servem o Senhor. É isso: quando verdadeiramente vemos Jesus no meio de nossas aflições e dificuldades, iremos sempre ouvi-Lo nos dizendo: "Não tema!".

Assim foi também com João. Em seus últimos anos, o fiel discípulo João foi exilado à ilha de Patmos. Na verdade foi uma punição de confinamento em solitária. João não teve contato humano em Patmos a não ser com os carcereiros. Foi um tempo de frio e fome extremos, e de um torturante isolamento para esse servo já idoso. Ainda assim em meio ao seu sofrimento João teve uma poderosa visão do Senhor. Ele diz:

"Quando o vi (Cristo), cai a seus pés como morto. Porém ele pôs sobre mim a mão direita, dizendo: Não temas; eu sou o primeiro e o último e aquele que vive; estive morto, mas eis que estou vivo pelos séculos dos séculos e tenho as chaves da morte e do inferno" (Apocalipse 1:17-18).

Hoje tento me imaginar na situação de João. Aquele deve ter sido um tempo de grande confusão e questionamentos até mesmo para este piedoso homem. Em verdade, creio que as coisas não poderiam ter sido piores para João. E as primeiras palavras que Jesus disse a Seu angustiado servo foram, "Não tema".

Mesmo o apóstolo Paulo conheceu esse tipo de isolamento desesperador. Mas em meio a seus próprios sofrimentos, Paulo teve uma visão de Jesus ao seu lado. Paulo foi capaz de declarar em meio à perseguição: "Todos me abandonaram... mas o Senhor me assistiu e me revestiu de forças" (2 Timóteo 4:16-17).

Para Estevão, João e Paulo, as circunstâncias da vida não poderiam ser mais negras. Mesmo assim cada um destes homens testificou ter visto Jesus em seus sofrimentos. Agora, prezado cristão, tenho uma pergunta: você vê Jesus na situação que você vive nesse momento?

Você é capaz de dizer como estes três homens disseram, "Cristo está comigo. Ele está me dando força a despeito das circunstâncias"? Creio que vivemos um momento na história em que o povo de Deus precisa descansar sobre a verdade de que Jesus está sempre conosco em cada provação, em cada momento de trevas. A sua provação é algum tipo de enfermidade? Desemprego? Medo do futuro? Lhe digo uma coisa: Jesus está presente.

Paulo diz, "Porque decidi nada saber entre vós, senão a Jesus Cristo e este crucificado" (I Coríntios 2:2)

Note como Paulo descreve os seus dias ao jovem companheiro Timóteo: "Estamos em guerra. Somos soldados, então não se prenda às coisas dessa vida... Você não irá agradar a Cristo de outra maneira... Suporte o sofrimento!" (vide 2 Timóteo 2:3-4). Em outras palavras: "Timóteo, não se prenda à nenhuma causa - seja transações financeiras, interesses, nada - que possa romper o teu foco em Cristo".

Me diga, onde vemos demonstração disso na vida de Paulo? Primeiro, Paulo se recusou a ser pego pelas discussões teológicas de seus dias.

Ele viveu em um tempo quando facções abundavam a torto e à direita, e se combatiam amargamente. Esses partidos até se dispunham a matar em favor de suas doutrinas.

Paulo respondia a esse conflito dizendo, "Não tenho nada a ver com isso. Estou aqui com um propósito: viver e pregar Cristo crucificado e ressurreto. Como servo do Senhor, recuso a me envolver com tais assuntos".

Paulo foi então compelido a escrever a Timóteo com o seguinte alerta: "O Espírito de Deus diz claramente que, nos últimos tempos, alguns abandonarão a fé. Eles darão atenção a espíritos enganadores e a ensinamentos que vêm de demônios. Esses ensinamentos são espalhados por pessoas hipócritas e mentirosas, pessoas cuja consciência está morta como se tivesse sido queimada com ferro em brasa" (I Timóteo 4:1-2, NTLH).

O Alerta de Paulo aqui é claro: "Os homens virão pregando um outro evangelho"

O evangelho oferecido por esses charlatões será uma perversão do verdadeiro evangelho de Cristo. Eles irão inventar um Jesus inteiramente novo.

Nesse momento um falso Cristo está sendo pregado mesmo em algumas igrejas evangélicas. O Cristo deles não pede arrependimento. É um Cristo que abraça a homossexualidade e casamento entre pessoas do mesmo sexo. É um Cristo de aceitação das falsas religiões - tudo supostamente em nome da tolerância e do amor.

Em seus próprios dias, Paulo reagiu à tais perversões ousadamente, bradando: "Estou chocado! O que aconteceu com vocês em tão pouco tempo? Fico abismado por tantos de vocês terem se envolvido com um evangelho tão demoníaco".

Paulo levou a sério essa questão de tal maneira que deu instruções: "Mesmo que um anjo vindo do céu vos pregue evangelho que vá além do que vos tenho pregado, seja anátema" (Gálatas 1:8). Esse é o resultado final de se concentrar no Jesus que Paulo pregou.

Hoje a igreja que vemos não é como deveria ser. As coisas não estão todas sob autoridade. Qual é a nossa reação à essa imitação caricata? Vemos o verdadeiro Jesus — o imutável Cristo – se mantendo vitorioso sobre tudo! Todo esse evangelho humano inventado não irá oferecer sequer um til de conforto na hora de necessidade.

Como Paulo instrui, não podemos nem mesmo deixar esse tipo de questão nos distrair. Não devemos deixar que seja corrompida a nossa "mente e se aparte da simplicidade e pureza devidas a Cristo" (2 Coríntios 11:3).

Paulo também se recusou a ficar envolvido com as brigas políticas de seus dias

À certa altura Paulo foi acusado de dirigir uma facção política fanática. Por isso foi preso e levado a julgamento diante do governador Félix.

Ao aparecer na corte ouviu acusações estranhas dirigidas contra si: "Esse homem é um fanático político; é um agitador, provocando a população dos judeus por todo o mundo. É cultuador do Nazareno. E é culpado de incitar motins! Está levantando grandes populações contra Roma".

Tudo isso era armadilha preparada pelos oponentes de Paulo. Porém ele via uma armadilha ainda maior. O próprio Satanás estava tentando tirar de Paulo sua mensagem de Jesus ser o centro, enredando-o no amargo conflito dos judeus contra os inimigos romanos.

Sendo um talentoso orador, Paulo facilmente poderia combater seus oponentes. Mas se recusou a ficar envolvido com as brigas políticas deles. Escolheu em favor do evangelho que pregava.

Finalmente, Paulo foi levado diante do rei Agripa para se defender. Mas na corte real Paulo escolheu pregar Cristo. Ousadamente contou a Agripa a sua dramática história, mesmo correndo riscos: "Rei, ouvi a voz do Senhor! Ele me derrubou do cavalo e disse o meu nome. Ele disse ser Jesus".

O rei se agitou com a mensagem de Paulo. E se recusou a decidir em relação ao apóstolo; antes, ordenou que este fosse enviado a Roma para depor na corte de César. Durante a noite anterior à transferência, o Senhor se pôs ao lado dele e disse: "Coragem! Pois do modo por que deste testemunho a meu respeito em Jerusalém, assim importa que também o faças em Roma" (Atos 23:11).

Esse era todo o encorajamento que Paulo precisava. Quando ele apareceu diante do maior líder político de seus dias, Paulo ainda permaneceria em sua mensagem: "Jesus é o Senhor de tudo!".

Hoje Satanás está tentando retirar da igreja a mensagem da centralidade de Jesus Cristo

O que Satanás mais deseja é retirar do povo de Deus a sua mensagem. Uma maneira de fazer isso é provocar os cristãos com uma questão política até que isso os consuma. Quando isso acontece, a questão logo se torna a única coisa de que falam. Jesus deixa de ser o interesse que os consome.

Há questões pelas quais o povo de Deus deve se interessar, mas não ao extremo que abra o coração à amargura e à atividade anticristã. Precisamos estar capacitados a orar sem um espírito perturbado.

O nosso Senhor insiste em que não sigamos nada que nos roube o descanso que temos nEle. Em verdade, Ele ordena que entremos e permaneçamos em Seu descanso: "Deus nos deixou a promessa de que podemos receber o descanso de que ele falou. Portanto, tenhamos muito cuidado para que Deus não julgue que algum de vocês tenha falhado, deixando assim de receber esse descanso" (Hebreus 4:1, NTLH).

O testemunho de Jesus Cristo é que podemos estar nesse mundo contudo não sendo dele

Isso significa que não temos parte nesse espírito ou nessa força que atrai. O fato é que dessa maneira nos tornamos testemunho de esperança num mundo que não tem esperança alguma. Quando alguma pessoa ansiosamente nos pergunta, podemos responder em fé e confiança: "Jesus é a minha esperança e paz".

Por favor, não entenda mal o meu sentido aqui: não estou fazendo uma declaração política. Antes, estou alertando os cristãos quanto ao envolvimento na crescente amargura da política de hoje. Paulo viu os perigos disso e devemos fazer o mesmo.

Jesus tem de permanecer central em nossos corações, mentes e atos, e não políticas ou políticos. Apesar de estas coisas serem importantes, elas podem roubar o nosso interesse central, o evangelho de Cristo. A nossa confiança como cristãos, é sabermos que todas as nações ficarão sob a autoridade de nosso Senhor Jesus.

Por todo lado ao nosso redor o mundo está sucumbindo. Mas vemos Jesus! Nós O vemos em nossas provações deste momento. O vemos conosco em nossa dor, em nosso sofrimento, em nossas crises, em tudo.

Mais do que tudo, vemos Jesus preparando tudo para a Sua vinda. Aleluia!

© 2010 World Challenge, Inc., PO Box 260, Lindale, Texas 75771

Um comentário:

Unknown disse...

Amem essa e nossa espernaca a volta do Salvador