segunda-feira, agosto 01, 2011

Tempo de Chorar e Tempo de Lutar

David Wilkerson

Ao ler o Velho Testamento vejo minha fé grandemente encorajada pelo exemplo que Davi deixou. Uma calamidade terrível atingiu esse homem fazendo com que sua própria vida fosse ameaçada pelos mais próximos a ele. Fico admirado pela determinação de Davi em obter uma palavra proveniente de Deus no meio desse período turbulento.

Este é o cenário: Davi e seu leal exército de 600 homens estavam fugindo do rei Saul, que estava tentando matá-lo. À certa altura o pequeno exército acampou em uma cidade chamada Ziclague, onde eles estabeleceram suas famílias. Dali partiram para a batalha, deixando lá esposas e filhos em segurança.

Após uma batalha, Davi e seu exército faziam viagem de três dias de volta à casa, quando o vilarejo foi subitamente saqueado pelos amalequitas. Esse inimigo violento seqüestrou as famílias de Davi e de seus homens, e ateou fogo em toda a cidade. Imagine a cena quando o exército de Davi retornou: "E Davi e seus homens vieram à cidade, e eis que estava queimada a fogo, e suas mulheres, seus filhos e suas filhas eram levados cativos" (1 Samuel 30:3).

Esses poderosos homens devem ter perdido a fala ao descobrirem o que havia ocorrido. Foi tão repentino e catastrófico que não conseguiam absorver o acontecido. Imagino-os andando chocados e desnorteados, gritando em agonia, "Como pôde acontecer? Por que Deus permitiu isso?". "Então, Davi e o povo que se achava com ele alcançaram a sua voz e choraram, até que neles não houve mais força para chorar." (30:4 itálicos meus).

Essa cena na vida de Davi nos mostra que há certamente uma hora para chorar quando uma calamidade nos atinge. As escrituras descrevem os soldados de Davi como "homens valentes" o que implica em homens endurecidos pelas batalhas e que não choravam. Mas esse episódio calamitoso fez com que os homens fortes chorassem copiosamente.

Afinal de contas, não era um desastre pequeno. Não foi apenas a perda de casas, gado ou colheita que fez com que os valentes de Davi chorassem; eles rapidamente superariam isso. Mas ao contrário, era a ameaça às suas amadas esposas e filhos que perfurava suas próprias almas. E o que se sucedeu a esse episódio poderia ser ainda mais desastroso para Davi: "E Davi muito se angustiou, porque o povo falava de apedrejá-lo, porque o ânimo de todo o povo estava em amargura" (30:6).

O que estamos testemunhando no mundo hoje é descrito nas escrituras como "o dia da vingança do Senhor, ano de retribuições, pela luta de Sião" (Isaías 34:8)

Acredito que através dos eventos de agitação e caos acontecendo no mundo hoje, Deus está derrubando a ganância, a cobiça e o orgulho. Estou convencido de que Ele não poderia mais permitir que as perversões sexuais destruíssem a alma de toda uma geração. E creio que o casamento entre pessoas do mesmo sexo tornou-se o sinal luminoso para a vingança de Deus.

O período da historia que Isaías descreve é um período cheio de lamentos, medo e tremor. No entanto o Senhor deu a Isaías uma palavra de segurança para Seu povo: "Confortai as mãos fracas e fortalecei os joelhos trementes. Dizei aos turbados de coração: esforçai-vos e não temais; eis que o vosso Deus virá com vingança, com recompensa de Deus; ele virá e vos salvará." (Isaías 35:3 e 4, itálicos meus).

O Senhor estava dizendo em essência: "Fortaleça os abatidos. Edifique os fracos que estão em seu meio. Encoraje todos que estão com medo e cheios de ansiedade. Diga-lhes, 'Não há razão para temer. Isso tudo é o Senhor quem está fazendo. E em meio a isso, Ele vai preservar o Seu povo. Ele está fazendo isso para salvá-los'".

Amado, até mesmo os mais piedosos dentre nós têm experiências que causam palpitações no peito, uma investida repentina de medo quando uma crise terrível chega. Em tais horas, não é pecado ter um súbito momento de ansiedade profunda. Na verdade, quando o Senhor deu tais palavras a Isaías, Ele se certificava de que todos os que se sentiam oprimidos pela terrível situação não seriam esmagados por elas. Ele queria que todo coração abatido e conturbado, ouvisse: "Não tema! Tenha coragem, pois o Senhor é Salvador de Seu povo".

Após suportar um período de choro, vem a hora de lutar

Chega uma hora em que todo choro deve acabar. É então que o povo de Deus deve se elevar acima do lamento, acima de qualquer pressentimento horrendo, e retomar sua luta. No Novo Testamento, o livro de Hebreus ecoa as palavras de Isaías: "Portanto, tornai a levantar as mãos cansadas e os joelhos desconjuntados, e fazei veredas direitas para os vossos pés, para que o que manqueja se não desvie inteiramente; antes, seja sarado" (Hebreus 12:12 e 13).

O significado aqui é, em suma: "Não fiquem por baixo. Levantem-se e lutem pela fé. Exercitem a confiança no Senhor. Joelhos frágeis: não cedam à dor; ao invés disso, continuem correndo. Se vocês sucumbirem ao medo e à preocupação, sua fé pode acabar aleijada".

Observe a reação defeituosa do exército de Davi à calamidade. Após esses homens valentes pararem de chorar, eles ficaram indignados. Culparam Davi por ter permitido o desastre. Ficaram tão desconjuntados, tão amargurados por conta do terrível infortúnio, que começaram a apanhar pedras para matá-lo.

Na minha opinião, isso é exatamente o que a maioria das pessoas está fazendo por conta da calamitosa crise econômica. Muitos estão cegos pela indignação. Eles se viram de um lado para outro perguntando, "Quem é o culpado por essa calamidade? Ponham todos na prisão!".

Eu recomendo a todo seguidor de Jesus: esqueça como chegamos aqui. Esqueça quem é o responsável. Mais importante, esqueça todos os seus próprios "e se...": "Se ao menos eu tivesse feito isso ou aquilo as minhas finanças estariam bem". Se você se prender nesses pensamentos, o medo vai se transformar em raiva ou em algum outro espírito paralisante e destrutivo. Não! O Senhor pretende um direcionamento diferente para suas energias. Sua palavra nos diz, "Agora é a hora de lutar pela fé!".

Veja a reação de Davi frente à calamidade: ele se encorajou. "Davi, porém, fortaleceu-se no Senhor, o seu Deus" (1 Samuel 30:6). Ao invés de ceder ao medo, Davi decidiu combatê-lo. Creio que ele fez isso por se lembrar de todos os livramentos que Deus havia lhe dado ao longo da vida. Na juventude, Davi matara um urso, um leão e derrubara o gigante Golias. Agora ele relembrava essas batalhas e as várias outras que havia vencido. Cada vitória tinha sido obtida por causa de sua fé inabalável.

Davi estava dizendo, "Preciso de uma palavra do Senhor". Ele sabia que ninguém poderia encorajá-lo – nem seu sacerdote Abiatar, nem mesmo os sábios capitães sob seu comando, de fato nenhum conselheiro. Davi tinha que obter uma palavra vinda diretamente do Único que o havia livrado de cada calamidade que havia enfrentado.

Amado, o mesmo é verdade pra você e para mim hoje. Simplesmente não há ninguém na terra que possa elevar a sua alma tirando-a do desespero. Ninguém pode manter o seu espírito encorajado durante a crise. Todos temos de obter nossa própria palavra vinda do Senhor. Como Davi, somos chamados a nos encorajar recordando Seus livramentos em nossas vidas. E devemos também lembrar daquelas horas em que Deus se provou frutífero em gerações passadas.

O encorajamento de uns aos outros só vai até certo ponto

Se os sermões que você ouve do pastor forem ungidos, eles produzirão vida em você. A pregação da palavra de Deus sempre irá encorajar Seus santos. Da mesma forma, adoração em grupo na congregação vai lhe levantar por algum tempo. Mas quão rapidamente esquecemos esse encorajar espiritual depois que o culto de domingo acaba. Conforme passam a segunda e a terça-feira e as noticias começam a piorar, freqüentemente caímos novamente em ansiedade e medo.

Em tempos normais, sou capaz de tirar conselhos de minha piedosa esposa, Gwen. Ela está sempre presente pra me dar uma palavra, exatamente o que eu preciso; sinto-me em relação à ela igual a Davi quando disse a Abigail, "vês aqui que tenho dado ouvidos à tua voz" (1 Samuel 25:35). Mas as coisas podem ser diferentes na hora da calamidade. Quando a fé está sendo ameaçada – na verdade, quando nossas próprias vidas estão sendo ameaçadas – o conselho das esposas, pastores, e de sábios amigos podem chegar só até certo ponto.

Hoje estamos vivendo em tempos temerosos como poucos de nós alguma vez conhecemos. A verdade é que somente uma palavra pessoal do Senhor pode nos guiar nessas horas com a esperança persistente que necessitamos. E Deus sempre tem sido fiel em prover uma palavra ao Seu povo ao longo da historia.

No Velho Testamento lemos essa frase repetidas vezes: "Veio a palavra do Senhor...". As escrituras falam o seguinte de Abraão: "Depois dessas coisas veio a palavra do Senhor a Abrão" (Gênesis 15:1). Lemos sobre Josué: "Conforme a palavra do Senhor, que tinha ordenado a Josué" (Josué 8:27). E assim foi também com Davi e os profetas. Lemos sobre eles, "Veio a palavra do Senhor a...".

Quanto ao povo de Deus hoje, temos o permanente Espírito Santo para dizer uma palavra vinda do céu para nós. Através Dele, a restauradora, curativa e orientadora palavra do Senhor está disponível a todos os que Nele confiam.

Veja o caso dos 600 soldados que seguiram Davi. Eles ouviram a palavra que Deus dera a seu líder. Mas essa palavra tinha de ser real para cada um destes soldados individualmente. Tinha de ser algo dito de Deus para os seus próprios espíritos tal que eles também pudessem começar a lutar de novo.

De igual modo hoje, creio que o desafio para cada crente é permanecer nas escrituras até que o Espírito Santo faça com que as promessas de Deus pareçam saltar das páginas para eles pessoalmente. Podemos saber quando isso acontece porque vamos ouvir a calma e suave voz do Espírito cochichando: "Essa promessa é sua. É a palavra de Deus dada só para você, para lhe cuidar nessa hora difícil".

Estou convencido de que não se pode combater a batalha de fé sem ouvir a segura palavra do Senhor a você.

Davi se encorajou, retomou a luta e imediatamente agiu em fé

Quando Davi recuperou seu espírito combativo, pediu que lhe trouxessem algo chamado éfode (estola sacerdotal). Era um tipo de vestimenta que incluía duas pedras mantidas no peitoral do sacerdote. Na ocasião Deus falava através do éfode. E Davi estava determinado a obter uma palavra de direção vinda do Senhor.

"E disse Davi a Abiatar, o sacerdote... Traze-me, peço-te, aqui o éfode. E Abiatar trouxe o éfode a Davi. Então, Davi consultou ao Senhor, dizendo: Perseguirei eu a esta tropa? Alcançá-la-ei?" (1 Samuel 30:7 e 8, itálicos meus).

Veja o que Davi fez aqui. Após ter chorado, e depois de ter retomado seu espírito combativo, esse homem foi direto se ajoelhar em oração. O Senhor lhe deu a palavra direcionadora que necessitava: "E o Senhor lhe disse: Persegue-a, porque, decerto, a alcançarás e tudo libertarás" (1 Samuel 30:8, itálicos meus). A orientação de Deus a Davi foi, "Siga em frente. Você será vitorioso". Em outras palavras: "Lute!".

Exatamente no verso seguinte lemos, "Partiu, pois, Davi, ele e os seiscentos homens que com ele se achavam" (1 Samuel 30:9). Davi agiu rapidamente sob a palavra que Deus lhe dera. No entanto, penso, como Davi sabia para onde ir? Que direção ele soube ter de tomar para recuperar tudo?

Creio que havia uma voz atrás de Davi cochichando, "Esse é o caminho, segue nele". E amado, o mesmo é verdade para nós hoje. Muitas igrejas cantam o encorajador hino "Ele fará um caminho", e o nosso Senhor faz exatamente isso. Veja, Ele tinha um plano pronto para cada um de nós antes que caísse sobre nós a calamidade atual. E Seu plano ainda está em andamento mesmo agora em meio à toda agitação que enfrentamos.

Estou convencido de que a palavra que Davi repetia vez após outra em sua mente era, "tudo libertarás". Davi sabia muito bem que não recuperaria sua casa em Ziclague. Nenhum de seus soldados recuperaria suas casas, seus jardins, suas propriedades. Tais coisas já tinham se ido. Não, o "tudo" que eles iriam recuperar era o cuidado e a segurança de suas famílias.

Você vê as semelhanças com os nossos tempos? Esses homens não estavam prestes a recuperar o velho estilo de vida. Não estavam prestes a retornar aos mesmos dias quietos, calmos e tão pacíficos de outrora. Os "bons velhos tempos" agora eram coisa do passado.

Mas não era isso que importava para Davi e seus 600 valentes. A única coisa que importava a eles era que suas famílias – tudo que realmente importava – iriam estar em segurança. Eles poderiam ter de viver em tendas com esposas e filhos depois disso. Mas Deus tinha lhes assegurado que estariam seguros.

Deus não disse a Davi como livraria a ele e sua família

Amado, o Senhor não vai nos explicar como irá prover nossos queridos. Ele não vai mostrar como irá manter-nos seguros no pior dos tempos. Seus meios são tão incomuns, tão inimagináveis, que jamais seríamos capazes de compreendê-los numa vida inteira.

Quanto a Davi, seu livramento veio através de uma fonte improvável: um jovem egípcio à morte. Esse jovem servo estava semi-morto quando Davi o encontrou no deserto e o alimentou e lhe deu de beber. Quando Davi perguntou ao jovem "Quem é você?" penso que Deus cochichou, "Davi, ele é o seu livramento". Quão improváveis, quão miraculosos são os Seus meios! Seria esse garoto egípcio à morte que apontaria o caminho para que Davi e seu exército achassem o acampamento inimigo. Em suma, Deus usou um garoto sem identidade para guiar Seu povo e libertar tudo.

Para encerrar, deixe-me levá-lo novamente a Isaías 35:4: "Dizei aos desalentados de coração: Sede fortes, não temais. Eis o vosso Deus. A vingança vem, a retribuição de Deus; ele vem e vos salvará" (Isaías 35:4).

Enquanto o mundo está sob vingança – enquanto todas as coisas parecem estar saindo completamente do controle – Deus está no processo de nos salvar. Ele está usando até mesmo o caos dos eventos mundiais pra trazer Sua salvação. Ele é fiel em salvar e guardar o Seu povo, em meio de toda calamidade.

© 2008 World Challenge, Inc., PO Box 260, Lindale, Texas 75771

Nenhum comentário: