domingo, dezembro 09, 2012

Salvos Porém Infelizes

David Wilkerson

Pense por um momento naquela hora gloriosa quando Israel estava em segurança do outro lado do Mar Vermelho. Milhares de pessoas do povo de Deus cobriam a praia, observando o desenvolver de uma cena milagrosa. As rápidas águas do mar haviam desmoronado sobre o grande exército do faraó!
Como deve ter sido incrível esta cena - e quão aterrorizante deve ter sido testemunhar esta visão e os seus sons. Relinchos de cavalos, gritos de soldados, as rodas dos carros de guerra se soltando para todos os lados, homens se elevando na superfície das águas em busca de ar e a seguir desaparecendo sob as ondas.
Estima-se que um milhão e meio de israelitas presenciaram tudo isso acontecendo. Imagino as pessoas aterradas - se ajoelhando, mãos elevadas em louvor, dominadas pela visão do poder de Deus em ação. Miriam, irmã de Moisés, espontaneamente conduz centenas de moças dançando em uma procissão de vitória, e dezenas de milhares de vozes proclamavam hosanas em altas vozes.
Caso tivesse estado lá naquele dia, você perguntaria a qualquer israelita, "Isto é ver um milagre. Como alguém poderia duvidar de Deus outra vez depois disso, não importando que tipo de provação se enfrente?". É quase certo que a resposta teria sido: "Sim, sim! Como a gente poderá duvidar de um Deus que enterra todo um exército? Ele é um Deus que opera milagres". No entanto, a grande fé de Israel durou exatamente três dias.
Creio que o povo de Israel desejava confiar em Deus de todo coração e provavelmente estava convencido de que o faria. Planejavam plenamente marchar cada quilômetro em direção à Terra Prometida cheios de fé, e entrar nela dizendo: “Vimos as dez pragas do Egito. Vimos Deus abrir o Mar Vermelho e destruir o inimigo. Quem pode duvidar de um Deus tão grande e poderoso?”.
E assim ocorre hoje em dia. Quase todos os verdadeiros seguidores de Cristo pretendem viver vidas cheias de fé, sem duvidar ou se queixar. Dizemos, “Tenho visto milagres em minha própria vida. Eu tive as minhas próprias experiências do Mar Vermelho. Como posso duvidar dEle, após ter feito tudo isto por mim?”.
No entanto, será que você alguma vez acabou igual àquele Israel ingrato, reclamando e duvidando? Infelizmente já aconteceu com muitos cristãos. A Bíblia declara que nos últimos dias muitos perderão a fé e abandonarão o primeiro amor. Eles acabarão em um deserto de dúvida e de incredulidade - salvos, porém infelizes!
Paulo escreve a Timóteo, “Mantendo fé e boa consciência, porquanto alguns, tendo rejeitado a boa consciência, vieram a naufragar na fé” (I Timóteo 1:19). Paulo escreveu estas palavras logo após o Pentecostes, quando Deus se moveu poderosamente em seu meio. No entanto, muitos já haviam perdido a fé.
O próprio Jesus disse: “Quando vier o Filho do homem, achará, porventura, fé na terra?” (Lucas 18:8). Em outras palavras: “Ao voltar para o Meu povo, encontrarei fé verdadeira entre eles?”. Certa vez tive dificuldades em engolir estas palavras. Eu pensei: "Mas, Senhor, multidões estão andando na fé".
O Senhor me fez recordar: dentre aqueles 600.000 israelitas que haviam decidido confiar nEle sempre, apenas dois conservaram a fé. Isto mesmo - 599.998 perderam a fé. Apenas Josué e Calebe creram e jamais duvidaram, e só eles entraram na Terra Prometida. Todos os outros israelitas com idade acima dos vinte anos, que antes haviam se extasiado com os milagres de Deus, morreram na dúvida, em um deserto de infortúnio.
É possível sair de uma terrível escravidão, e contudo jamais se alcançar a plenitude de Cristo
Muitos cristãos gastam toda a sua vida perdidos em um deserto, flagelados pelo medo, pela ansiedade e falta de fé. Eles precisam saber o que significa a Terra Prometida. Ela não representa o céu, como muitos acham. (No dia que os israelitas entraram em Canaã, as guerras começaram.) Em vez disso, Canaã significa para sempre a plenitude máxima da vida abundante. Era uma terra "onde mana leite e mel", uma vida de bênçãos e paz, uma vida de descanso em relação a todo temor.
Hoje a nossa Terra Prometida é Jesus Cristo vivo em nós. Ele é a nossa herança, e descansamos em sua fidelidade, gozamos de sua presença e alegramo-nos nEle em todos os nossos dias. Deus nunca pretendeu que ficássemos presos em um deserto de contínua seca. A vida em seu Filho é uma total entrega nas mãos de Deus, confiando inteiramente em sua vontade e em seu amor.
Apenas Josué e Calebe conservaram sua fé no poder de Deus para livramento. Eles testificaram, "Nós podemos derrotar este inimigo se Deus se agradar de nós. Nosso poderoso Deus não pode ser comparado a homens". Mas naquela noite, os outros dez espiões foram de tenda em tenda e de tribo em tribo disseminando dúvida e medo. E durante a noite inteira podia se ouvir o pranto do povo nas tendas: “Toda a congregação... gritou em voz alta; e o povo chorou aquela noite” (Números 14:1).
Como Deus deve ter se entristecido. Veja a blasfêmia de Israel nas suas palavras de dúvida e amargura: “Todos os filhos de Israel murmuraram contra Moisés e contra Arão; e toda a congregação lhes disse: Tomara tivéssemos morrido na terra do Egito ou mesmo neste deserto! E por que nos traz o Senhor a esta terra, para cairmos à espada e para que nossas mulheres e nossas crianças sejam por presa? Não nos seria melhor voltarmos para o Egito? E diziam uns aos outros: Levantemos um capitão e voltemos para o Egito” (14:2-4).
Voltar para o Egito? Sem água, sem maná, sem direcionamentos, sem uma nuvem ou uma coluna de fogo para guiá-los? Eles não iriam sobreviver nem uma semana sozinhos. Mesmo que chegassem até o Mar Vermelho, como iriam atravessá-lo? Se o fizessem, teriam de enfrentar um faraó zangado e vingativo.
Talvez neste instante você esteja enfrentando a maior luta de sua vida. O inimigo está chegando por todos os lados. Você sabe que possui um Deus poderoso do seu lado, mas a única coisa que pode ver é a batalha na sua frente. Você diz, “Oh Deus, eu não consigo! Por que o Senhor me levou a este drama? Quando fui salvo, eu não sabia que teria que lutar tanto assim. Achei que tudo seria ótimo".
Neemias disse o seguinte a respeito de Israel: “Na sua rebelião levantaram um chefe, com o propósito de voltarem para a sua escravidão” (Neemias 9:17). Eles realmente se prepararam para voltar à escravidão! Acharam que iriam voltar para algo mais fácil - mas ainda não tinham visto nada.
Ouça estas palavras incríveis do Senhor: “Até quando me provocará este povo e até quando não crerá em mim, a despeito de todos os sinais que fiz no meio dele? Com pestilência o ferirei e o deserdarei; e farei de ti povo maior e mais forte do que este” (Números 14:11-12).
Porém Moisés apelou que Deus demonstrasse Sua grande misericórdia: “Perdoa, pois, a iniquidade deste povo, segundo a grandeza da tua misericórdia e como também tens perdoado a este povo desde a terra do Egito até aqui” (14:19). Isto me traz ao âmago da minha mensagem.
Você pode ser perdoado, porém ficar excluído da plenitude de Deus
Esta é a consequência da falta de fé. Você pode ser um receptor das grandes misericórdias, bênçãos e da proteção de Deus, e contudo nunca desfrutar da vida de poder e de descanso que Ele planeja para você.
Deus ouviu o apelo de Moisés, e perdoou os terríveis pecados de Israel: “Tornou-lhe o Senhor: Segundo a tua palavra, eu lhe perdoei” (Números 14:20). Mas qual foi a reação do povo? “(Eles)... recusaram a ouvir-te, e não se lembraram das tuas maravilhas, que lhes fizeste; endureceram a sua cerviz, e na sua rebelião levantaram um chefe, com o propósito de voltarem para a sua servidão” (Neemias 9:17).
Deus ainda demonstrou a sua misericórdia, o seu amor e longanimidade por um Israel descrente: “Todavia, tu, pela multidão das tuas misericórdias, não os deixaste no deserto: a coluna de nuvem nunca se apartou deles de dia, para os guiar pelo caminho; nem a coluna de fogo de noite, para lhes alumiar o caminho por onde haviam de ir. E lhes concedeste o teu bom Espírito, para os ensinar; não lhes negaste para a boca o teu maná; e água lhes deste na sua sede. Desse modo os sustentaste quarenta anos no deserto, e nada lhes faltou; as suas vestes não envelheceram, e os seus pés não se incharam” (Neemias 9:19-21).
Você pode estar pensando: "Eles estavam numa boa. Estavam perdoados, sendo guiados, cuidados, alimentados e vestidos. O que mais poderiam desejar?". Mas havia algo terrível. Nós encontramos o problema neste versículo: "Eles não verão a terra" (Números 14:23).
Eles foram excluídos, deserdados. O povo de Deus estava salvo, perdoado e abençoado, mas não estava indo para lugar algum. Estavam desperdiçando suas vidas, porque haviam sido excluídos do que de melhor havia da parte de Deus. Foram condenados a uma “vida de deserto”, para ficarem áridos, perturbados, inquietos, vazios e infelizes para o resto dos seus dias.
Deus literalmente quebrou sua promessa para eles – isto é, a promessa de levá-los a uma vida de paz e descanso: “... e tereis experiência do meu desagrado” (14:34). Por que Deus tomou uma atitude tão drástica? Foi devido à falta de fé - pura e simplesmente. Transformou-se em um hábito para eles se esquecer de toda a fidelidade de Deus no passado. E a cada nova crise, eles murmuravam e reclamavam!
No entanto, estas não eram pessoas abandonadas. Elas foram salvas, libertas da escravidão. Os sacrifícios de sangue continuavam. O maná continuava chegando. A água da rocha ainda fluía. A coluna e a nuvem ainda eram visíveis. Porém o povo de Deus não tinha vida. O Senhor até mesmo os chamou de maus.
“E contra quem se indignou por quarenta anos? Não foi contra os que pecaram, cujos cadáveres caíram no deserto? E contra quem jurou que não entrariam no seu descanso, senão contra os que foram desobedientes? Vemos, pois, que não puderam entrar por causa da incredulidade” (Hebreus 3: 17-19). Israel não foi excluído devido à idolatria, à fornicação ou à cobiça. Foi devido à incredulidade.
Você pode imaginar o que vem a ser o tormento de se viver sob medo uma vida inteira? Por quarenta anos este povo andou em círculos, tendo suas vidas se resumido a uma mera sobrevivência. Perderam-se em coisas insignificantes, reduzindo-se às atividades de rotina, se preocupando com coisas que nunca iriam acontecer.
Este é o quadro do que sucede quando se perde a fé. Você então se preocupa com cada um dos mínimos problemas que surgem. Fica sempre questionando Deus e jamais possui paz, alegria ou esperança. Deus lhe diz: “Eu nunca lhe abandonarei. Mas você não chegará a lugar algum”.
Não é apenas uma questão do Velho Testamento. Hebreus diz, “Tende cuidado, irmãos, jamais aconteça haver em qualquer vós perverso coração de incredulidade que vos afaste do Deus vivo... Esforcemo-nos, pois, por entrar naquele descanso, a fim de que ninguém caia, seguindo o mesmo exemplo de desobediência” (3:12; 4:11). Somos advertidos claramente: a incredulidade pode nos impedir de entrar, como aconteceu com Israel.
Acredito que multidões de cristãos jamais adentrem a repousante vida da plenitude de Cristo. Eles passam todos os seus dias salvos, porém infelizes. Não experimentam as alegrias das vitórias ganhas pela fé. Desconhecem uma vida livre das preocupações contínuas. Jamais desfrutam da paz e da alegria que chegam àquele que confia todas as coisas às mãos do Senhor. Só os Josués e os Calebes chegam a entrar pela fé na vida abundante.
Eis outra grande lição que precisamos aprender da experiência de Israel.
Precisamos ser cuidadosos com nossas palavras quando enfrentamos as dificuldades
Como é perigoso comunicar dúvida para os outros. As escrituras revelam que os dez espiões “que infamaram a terra, morreram da praga perante o Senhor” (Números 14:37). E o que sucedeu à congregação que disse: “Deus deveria ter nos deixado morrer no deserto”?
Deus lhes respondeu: “Está certo, vocês morrerão no deserto”. “Por minha vida... como falastes aos meus ouvidos, assim farei a vós outros. Neste deserto, cairá o vosso cadáver, com também todos os que de vós foram contados... de vinte anos para cima, os que dentre vós contra mim murmurastes” (Números 14:28-29).
Estas palavras podem lhe parecer ásperas. Pode-se pensar, “Mas os israelitas eram apenas humanos. Foram desenraizados da terra, viajavam de um lado para o outro, se preocupavam com os filhos. O temor deles era natural. Com certeza Deus compreenderia isto”.
Não. Deus não está procurando reações “naturais”. Ele está procurando respostas de fé. Ele deseja um povo que diga: “Creio na palavra de Deus. Portanto creio que Ele está mais interessado na minha família do que eu. Não agirei com medo, pois Ele é fiel para me guardar nestes tempos conturbados. Nem a doença ou a morte podem me separar do Seu amor e do Seu cuidado por mim”.
“De fato, sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam” (Hebreus 11:6). “Aproximemo-nos, com sincero coração, em plena certeza de fé, tendo o coração purificado de má consciência e lavado o corpo com água pura” (10:22).
Nossa fé precisa ser fundamentada unicamente na palavra de Deus
A estratégia de Satanás nestes últimos dias é levá-lo a duvidar da realidade de Jesus. Ele vai usar todo poder para fazê-lo duvidar que Deus esteja com você em todas as coisas.
A preocupação de Deus é que seu povo está sendo abalado em sua fé, que não confia nEle nas crises. Na verdade, o nosso pior pecado é não acreditar que Ele vá cumprir com o que prometeu. Isso O ofende mais do que o adultério, a fornicação, drogas, álcool ou qualquer outro pecado da carne.
A sua palavra diz: “Sabe o Senhor livrar da tentação os piedosos” (2 Pedro 2:9). “Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar” (I Coríntios 10:13).
Ou estes versículos são o evangelho, ou então são mentiras. Se são o evangelho, então devemos guiar-nos por eles. Deus deseja que estejamos capacitados a dizer: “Senhor, se eu morro sustentado por estas verdades, confiando que cuidarás de mim até o fim, então que eu morra na fé. Viva ou morra, sou Teu!”.
Que venham todos os ventos e as ondas do inferno até você. Deixe que tudo venha até você. O nosso Deus é suficiente -- e Ele sabe como livrá-lo!
Ele planejou que você e eu tenhamos toda a alegria, a paz, a vitória e o descanso em nosso caminhar. Ele está buscando homens e mulheres que se levantarão contra o que está chegando neste período de trevas -- servos que se posicionarão com serenidade e com paz porque Cristo neles habita.
Deus deseja tanto que você entre nesta posição de confiança. Ele quer que você nunca mais tema, mas que verdadeiramente descanse no seu poder e capacidade. Ele sabe como lhe livrar de todas as armadilhas, de todas as provações e tentações -- se você apenas confiar nEle.
Renove sua fé nEle hoje. Ele concedeu vida abundante - descanso, paz, alegria - e a pôs diante de você. Entre nesta vida, crendo nEle!
© 2012 World Challenge, Inc., PO Box 260, Lindale, Texas 75771

Nenhum comentário: